30.6.10

Esse é o meu caminho!

Estou a vagar pelos campos, pelas flores, e pela noite! As estrelas são meus pensamentos ao longe !
Onde estás que não volta?
Posso andar por caminhos  nunca desvendados  e somente meu coração irá me levar ao conhecimento deste caminho, pois dentro do meu   Ser mora, o passado, o presente e o futuro...
Passado tão distante que já não consigo mais alcançá - lo, Presente tão inconstante que estou a encontrar e o futuro rsrsrs, não sei onde está ...
No cheiro das flores, no brilho da lua, encontro o despertar da vida em sua plenitude, a viajar pelo labirinto do tempo, tempo esse que não envelhece...
Quem sois, que não responde? Vagas por aí sem destino, ao encontro do vazio!!
E essas flores tão belas e intocáveis, que estão a contemplar o horizonte, em reverência ao maior de todos!!
E assim sigo , com passos pequenos a encontrar o que chamam de paraíso...
E lá vou eu... sobrevoando a noite a espera do encontro, para mais uma eternidade!



Ser Estranho Ser!

4 comentários:

j maria castanho disse...

Hei Dani, eis mais uma história para ti...

Décimo Sétimo Cálice


Sobre o azul das cadeiras
Um ágil miosótis saltita
Alinha livros, limpa prateleiras
Cujos meneios são mil maneiras
De pôr o pó fora dessa palafita.

Aldeia dos lótus em flor
Siando à tona do olhar
Brancos, porém criando vida e cor
No horizonte desse teimoso leitor
Que decifra sentidos no imaginar.

Repõe a ordem nos fugitivos
Expulsa os intrusos do lugar
E se alguns são mais activos
Dá-lhes refrega e põe-nos cativos
Ordenando-lhes a onde ficar.


É autoritária esta serviçal
Dominadora perante residentes
Exigindo aos súbditos renitentes
Que assumam a sua posição real
Na estante, antes que lhe suceda mal.

E eles, livros perdidos, em jeito cru
Submissos, intérpretes do conhecimento
Acatam a catalogação em CDU
Como soldados em missão na ONU
Ou em serviço maior do seu regimento...


Tu prà'qui, tu prà'li, em fila, marchando
Pondo acerto no passo e tino nas maneiras
Que aqui, ao alto subida nestas cadeiras
Não há outras leis nem demais fronteiras
Pois que aqui, sou eu quem mais mando.

E perante essa razão incontornável
Sobre aqueles na reticência activos
Eis que Arina, o Sol da tarde perscrutável
Assume por momentos
As semelhanças e movimentos
De uma arrumadora de livros!

Cora disse...

Oh minha querida, estamos todos neste caminho...!
Acredito em tuas verdades mais insanas e elas se traduzem em fatos do meu dia!!

*))
Um beijo grande, Cora.

Isadora disse...

Daniele, obrigada pela visita e pelas palavras deixadas no Tantos Caminhos.
Lindo o seu poema!
Um beijo

Mônica - Sacerdotisa da Deusa disse...

Que lindo amiga!!!
Beijinhos.

Flores e Luz.