6.1.11

Linda dança !!



Olha que beleza ...
Que perfeição, ah... essas mulheres, tão complicadas e perfeitas...
Fala sério hein, que show !!
Eis a dança e seus mistérios, um encanto, uma mágia toma conta dos corpos que estão a dançar.
Dançar é deixar a alma livre, e simplesmente sentir o inexplicável.
Não é mesmo Mônica Deusas e Fadas !
Bjs
Ser Estranho Ser!



http://img191.imageshack.us/i/fotoblog.png/

4 comentários:

Mônica - Sacerdotisa da Deusa disse...

É isso mesmo minha queridona! rs
Vc é uma amiga do coração sabia, sempre tão carinhosa. Obrigada a vc e a P. por tanta doçura, carinho e amizade.
Beijinhos.

Flores e Luz.

Valquíria Oliveira Calado disse...

Olá, boa noite, vim desejar-te um fim de semana cheio de alegrias, abraço.
"Muitas pessoas pensam que a felicidade somente será possível depois de alcançar algo, mas a verdade é que deixar para ser feliz amanhã é uma forma de ser infeliz." (ROBERTO SHINYASHIKI)

Valquíria Oliveira Calado disse...

Deus fala com você

Eram aproximadamente 22 horas quando um jovem começou a dirigir-se para casa. Sentado no seu carro, ele começou a pedir: “Deus! Se ainda falas com as pessoas, fale comigo. Eu irei ouvi-lo. Farei tudo para obedecer-lhe”.

Enquanto dirigia pela rua principal da cidade, ele teve um pensamento muito estranho: “Pare e compre um galão de leite”.

Ele balançou a cabeça e falou alto: “Deus? É o Senhor?”. Ele não obteve resposta e continuou dirigindo-se para casa. Porém, novamente, surgiu o pensamento: “Compre um galão de leite”.

O jovem pensou em Samuel e como ele não reconheceu a voz de Deus, e como Samuel correu para Eli.

Isso não parece ser um teste de obediência muito difícil... Ele poderia também usar o leite.

O jovem parou, comprou o leite e reiniciou o caminho de casa. Quando ele passava pela sétima rua, novamente ele sentiu um pedido: “Vire naquela rua”. Isso é loucura... – pensou – e, passou direto pelo retorno.

Novamente ele sentiu que deveria ter virado na sétima rua. No retorno seguinte, ele virou e dirigiu-se pela sétima rua.

Meio brincalhão, ele falou alto: “Muito bem, Deus. Eu farei”.

Ele passou por algumas quadras quando de repente sentiu que devia parar. Ele brecou e olhou em volta. Era uma área mista de comércio e residência. Não era a melhor área, mas também não era a pior da vizinhança. Os estabelecimentos estavam fechados e a maioria das casas estava escura, como se as pessoas já tivessem ido dormir, exceto uma do outro lado que estava acesa.

Novamente, ele sentiu algo: “Vá e dê o leite para as pessoas que estão naquela casa do outro lado da rua”.

O jovem olhou a casa. Ele começou a abrir a porta, mas voltou a sentar-se. “Senhor, isso é loucura. Como posso ir para uma casa estranha no meio da noite?” Mais uma vez, ele sentiu que deveria ir e dar o leite.

Inicialmente, ele abriu a porta... “Muito Bem, Deus, se é o Senhor, eu irei e entregarei o leite àquelas pessoas. Se o Senhor quer que eu pareça uma pessoa louca, muito bem. Eu quero ser obediente. Acho que isso vai contar para alguma coisa, contudo, se eles não responderem imediatamente, eu vou embora daqui”.

Ele atravessou a rua e tocou a campainha. Ele pôde ouvir um barulho vindo de dentro, parecido com o choro de uma criança. A voz de um homem soou alto: “Quem está aí? O que você quer?”

A porta abriu-se, em pé, estava um homem vestido de jeans e camiseta. Ele desconhecido em pé na sua soleira. “O que é?” O jovem entregou-lhe o galão de leite. “Comprei isto para vocês”. O homem pegou o leite e correu para dentro falando alto.

A mulher pegou o leite e foi para a Cozinha. O homem a seguia segurando nos braços uma criança que chorava. Lágrimas corriam pela face do homem e, ele começou a falar, meio soluçando: “Nós oramos. Tínhamos muitas contas para pagar este mês e o nosso dinheiro havia acabado. Não tínhamos mais leite para o nosso bebê. Apenas orei e pedi a Deus que me mostrasse uma maneira de conseguir leite”.

Sua esposa gritou lá da cozinha: “Pedi a Deus para mandar um anjo com um pouco... Você é um anjo?”

O jovem pegou a sua carteira e tirou todo dinheiro que havia nela e colocou-o na mão do homem.

Ele voltou-se e foi para o carro, enquanto as lágrimas corriam pela sua face. Ele experimentou que Deus responde os pedidos.

Quanto tempo você leva para parar um pouquinho e ouvir Deus?

Voando como borboletas disse...

Olá Daniele,estou aqui a agradecer o comentário lá no blog,entendo a sua opinião sobre o assunto os seres humanos precisam melhorar muito com relação ao que diz respeito a discriminação e preconceito, sei que da mesma forma que existem pessoas que compreendem que todos somos iguais independente de suas opções sejam quais forem, existem seres que ao meu ver são dignos de pena, pois quem somos nós para dizer que alguém está errado, tu deves conhecer aquele ditado que diz que quando apontas um dedo para o teu próximo existem 3 apontando para si mesmo e um para cima.Beijos de sol para vc e não me deixe de visitar, estarei sempre por aqui,pois tuas palavras sempre nos despertam para coisas boas.Beijos Patrícia